Review**Red Cliff – A Batalha dos três reinos

A história da china sempre foi aproveitada em produções para o cinema, mas nos últimos anos muitos filmes estão mastigando e re-mastigando esse tema, alguns são bons filmes, outros beiram o status de insuportáveis, mas John Woo decidiu fazer o dele em 2008 e 2009 dividindo o seu épico de guerra em duas partes.

Red Cliff A batalha dos três reinos

Red Cliff (A Batalha dos três Reinos no titulo nacional) filme de 2008 que reune as estrelas do cinema chinês com a participação da estrela Takeshi Kaneshiro do Japão, também conta com um elenco de pesos pesados como Tony Leung Chiu Wai (2046 – Infernal Affairs), Zhao Wei (The Longest Night in Shanghai), Feng Yi Zhang (Adeus Minha Concubina), dentre outros celebres nomes do cinema. Se no quesito atuação o filme já se firma como um grande epico, no quesito qualidade técnica é que tudo toma forma, John Woo quis realmente mostrar que estava disposto a fazer um filme grandioso, locações enormes, milhares de figurantes nas batalhas, wire-fu nas lutas, uma visual mais visceral mostrando uma certa violência nas batalhas e um espetáculo com a câmera que quem conhece sabe John Woo é John Woo.

Takeshi Kaneshiro é o estrategista KongMing

Red Cliff narra a história da batalha pelo rochedo vermelho entre as forças de Liu Bei aliado com as forças do Sul da China, contra a terrível dominação do pais liderada pelo primeiro ministro Cao Cao, período conhecido na China como Os Três Reinos, o filme é uma lição de história dividida em dois longas metragens com excelente duração e desenvolvimento da história, mais acho que o fator de maior destaque em seu desenvolvimento é demonstrar o lado estratégico das batalhas coisa que praticamente nenhum filme tinha explorado muito até hoje, se você espectador leu A arte da Guerra de Sun Tzu esse é o seu filme, você vera o brilhante estrategista Kong Ming (brilhantemente interpretado por Takeshi Kaneshiro), criado incríveis formações de batalha e surpresas para o inimigo que também surpreendem o espectador, esse com toda a certeza é o ponto chave do filme e o que nos da animo para acompanhar os dois longas esperando por mais batalhas originais e tensas; o primeiro filme apresenta todos os fatores históricos muito bem sem enrolar o espectador com os complicados nomes e posições governamentais dos personagens, mostrando uma abordagem direta da proposta do filme, o segundo filme é um espetáculo que o diretor deixou para o final, com uma excelente e épica batalha, ápice das atuações, situações marcantes e muito empolgantes e um excelente final.

O filme de John Woo é perfeito em todos os aspectos para aqueles que gostam de um bom épico esta tudo lá, figurino,fator histórico, estrelas,locações de cair o queixo, uma obra a se admirar.

incríveis batalhas com muita estratégia

Mas aqui fica o maior sinal de atenção que posso dar, Red Cliff teve sua versão nacional em que “habilidosamente” o distribuidor editou os filmes para caberem em 2 horas e 48 minutos de filme, chamado aqui de A Batalha dos Três Reinos que não é o pior título que esse país nos brindou, mas o maior problema é que, se você assistiu a versão nacional você não assistiu o filme, não só por cortarem grande parte dos diálogos que davam um balanço entre as cenas de ação mas também por cortarem uma parte crucial do filme o que é “inacreditável”.

Pequeno Spoiler:

Se você assistiu essa versão nacional deve lembrar da cena em meio ao filme em que faltam flechas e que KongMing rouba as flechas do inimigo com o plano de faze-los atacar e errar as flechas e depois pega-las, os lideres do inimigo nessa cena são os 2 almirantes de Cao Cao, no filme original Kong Ming aposta a vida com Zhou Yu o que da um bom humor ao filme, e depois de sua vitória na aposta Cao Cao pune os dois almirantes com a decapitação, e no mesmo momento que as flechas são contadas Cao Cao vê o erro que cometeu matando seus almirantes caindo na armadilha, pois sem os almirantes não poderia conduzir bem o exercito na ultima luta. Simplesmente na versão nacional foi excluída essa cena os 2 almirantes simplesmente desaparecem do filme sem qualquer edição para explicar, Cao Cao perde por perder tirando o trunfo estratégico “Crucial” da narrativa.

Fim do pequeno spoiler.

Feng Yi Zhang interpretando o excelente vilão Cao Cao

Erros gravíssimos na edição nacional que são muito perceptíveis e mostram um cuidado de “porco” que deram para o filme nesse nosso país, então fica a dica de que se você assistiu a versão nacional você infelizmente não visualizou a obra como ela deveria ser vista. Separo no fim dessa analise as duas notas para esse filme pois se comparados a nossa edição tem erros terríveis que incomodam os mais atentos.

Nota para os originais: 10.0

Nota para edição nacional: 5.0

Anúncios